Você está aqui: HomeDiário de BordoExpedição Egito 2010EXPEDIÇÃO EGITO 2010Dia 25/04/2010 - 3° dia - 2ª parte - BIBLIOTECA ALEXANDRINA

Dia 25/04/2010 - 3° dia - 2ª parte - BIBLIOTECA ALEXANDRINA

3º dia
25 de Maio de 2010
ALEXANDRIA – 2ª PARTE - BIBLIOTECA ALEXANDRINA

             A Biblioteca antiga e célebre de Alexandria foi o maior centro de cultura e ciências no mundo antigo.  Foi construída em 288 a.C. em um edifício anexo ao Museu (o Lar da Ciência), que foi o primeiro centro de pesquisa no mundo. O Museu foi um tipo de academia que atraiu os mais intelectuais, cientistas e eruditos de todo o mundo.
            A Biblioteca de Alexandria continha todos os livros de ciência e arte do mundo antigo, e conforme estimativa possuía cerca de 700 000 papiros manuscritos em todos os tópicos, o maior acervo de cultura e ciência que existiu na antiguidade. Havia ainda uma famosa escola filosófica. Foi ali que o matemático grego Euclides desenvolveu a geometria e Arquimedes formulou os princípios da física, entre outros avanços da ciência.

                        biblioteca
                        Vista da Biblioteca Alexandrina

                Segundo nosso guia, fascinada por leituras, a jovem princesa Cleópatra visitava quase que diariamente a grande biblioteca da cidade de Alexandria. Mesmo quando César ocupou a maior parte da cidade, no ano de 48 a.C., ela, sua amada e protegida, o fazia acompanhá-la na busca de novas narrativas.

                         biblioteca

                        Ocorreu um incêndio acidental em 48 a.C., próximo ao porto e as chamas alcançaram outros edifícios da cidade, sobretudo a Biblioteca e o Museu. Foi quando se perdeu grande parte do seu acervo.
                       A obra da nova biblioteca se arrastou por sete anos e terminou no final do ano de 2001, mas a inauguração oficial foi adiada e aberta ao público no dia 23 de Abril de 2002, data que coincide com o Dia Mundial do Livro (e do meu aniversário, rsrs). 
                       O novo prédio foi erguido às margens do Mediterrâneo, próximo ao local da antiga biblioteca. A ideia de recriá-la surgiu nos anos 70, mas só virou realidade depois que a Unesco, órgão cultural da ONU, e vários países europeus toparam arcar com os custos de construção, compra de acervo e manutenção. Um escritório norueguês de arquitetura ganhou a concorrência internacional com um projeto ousado. O resultado foi uma obra faraônica, que ocupa uma área de 85.000 metros quadrados.

                         interior biblioteca 

                       A nova biblioteca de Alexandria é uma obra realmente faraônica (termo que vem bem a calhar) que revive um dos orgulhos do antigo Egito. Nos tempos atuais da internet e livros virtuais, gastar 200 milhões de dólares para construir uma biblioteca num país que exerce censura cerrada a obras literárias e que a metade da população é analfabeta, parece um tanto estranho.
                      Mas depois de conhecer um pouco da cultura do Egito, isso não nos causa mais espanto, pois esse país, já possuiu a mais famosa de todas as coleções de livros e agora espera reviver o esplendor da época da rainha Cleópatra com a nova da Biblioteca de Alexandria, que é uma versão ultramoderna da biblioteca fundada em 295 a.C., pela dinastia dos Ptolomeus e que nos três séculos seguintes ajudou a cidade portuária egípcia a firmar-se como a mais brilhante capital da Antiguidade.

                         interior biblioteca 

                        É impressionante quando se ouve falar sobre os números da biblioteca, são 400 mil livros, 10 mil livros raros, 100 mil manuscritos, 300 mil periódicos, 200 mil cassetes de áudio, 50 mil vídeos, espaço para 3.500 pessoas e com 2000 terminais de computador disponíveis ao público com acesso a outras bibliotecas do mundo, sistema esse chamado por eles de biblioteca cybernética.
                       O espaço físico da biblioteca tem capacidade para 8 milhões de livros.  A intenção deles é que a biblioteca seja um dos maiores e mais importante centro de conhecimentos do mundo.

                        livros

                       A Biblioteca Alexandrina, assim chamada depois da reinauguração, possui ainda no complexo, um planetário (bola na foto abaixo), um museu de ciências e uma sala de congressos e exposições (Prédio quadrado com uma pirâmide na frente).

                         biblioteca externa

                        O telhado foi construído de forma que a sala de leitura que tem 20 mil metros quadrados seja iluminada uniformemente pela luz solar direta sem prejudicar a visão no momento da leitura.

                         telhado interno    

                       O telhado de vidro e alumínio tem quase o tamanho de dois campos de futebol, reclinado, parte dele parece estar enterrado no solo, e é circundado por uma imensa piscina.   As paredes não possuem nenhuma janela e são revestidas de granito. 

                         piscina biblioteca

                         telhado baixo

                       Realmente essa maravilhosa Biblioteca não só salvou nossa ida para Alexandria, como superou nossas expectativas, uma obra de encher os olhos, que é um dos orgulhos dos Egípcios.
                       Vi na biblioteca uma frase muito interessante, mas que não me recordo quem escreveu. “Viver no mundo sem ter a consciência do significado desse mesmo mundo é como perambular por uma enorme biblioteca sem tocar nos livros”.
 

Finish

Adicionar comentário / Add Comment / Añadir Comentarios

Gostou do nosso site? Deixe seu comentário! Ele será publicado após a aprovação.


Share on Myspace
Voltar ao Topo