Você está aqui: HomeDiário de BordoExpedição Egito 2010EXPEDIÇÃO EGITO 2010Dia 03/05/2010 - 11º Dia - SHARM EL SHEIKH - MONTE SINAI

Dia 03/05/2010 - 11º Dia - SHARM EL SHEIKH - MONTE SINAI

11º dia
03 de Maio de 2010
PENÍNSULA DO SINAI – REGIÃO DE SANTA CATARINA - MONTE SINAI

                 A Península do Sinai é um deserto arenoso ao norte e muito montanhoso ao sul.
Foi nessa região, aproximadamente 300 km ao norte de Sharm El Sheikh onde estávamos mergulhando, que fomos conhecer a região de Santa Catarina, onde se encontra o Monastério de Santa Catarina e a montanha Jabal Katrina, a mais alta do Egito, um pico de granito com 2.288 metros, também conhecido como Monte Sinai, onde segundo a tradição bíblica, Moisés teria recebido de Deus os Dez Mandamentos, apesar de não ter evidências arqueológicas que Moisés estivera nessa região.
                 Começamos a subida as 2 da madruga e chegamos ao topo às 6 horas, no nascer do sol.     
Sem nenhuma dúvida, esse foi o dia mais trabalhoso do nosso passeio, a subida não é nada fácil, feita na escuridão, e as lanternas não ajudam muito, pois o terreno da trilha é muito acidentado.  
              
 Não me considero propriamente um religioso, estou longe disso, muito pelo contrário, me considero sim super curioso por natureza, excêntrico e com gosto por aventuras, por isso não tive dúvidas e encarei a subida ao Monte Sinai.

                         SUBIDA SINAI

                      
A subida ao monte pode ser feita por dois caminhos, o original, que é uma subida de mais de 4000 degraus, e a segunda opção, já adaptado pelos beduínos, onde se caminha por 7 km pelas íngremes trilhas, mais a subida final de 750 degraus.
                       Fizemos nossas contas, e chegamos a conclusão que como até hoje fomos bons meninos, comportados e obedientes nós poderíamos subir pela menos difícil, a segunda opção. Aí, para não deixar o Ita e o Jacir subirem sozinhos pela mais difícil, eu (Toco) e o Ramir emprestamos uns créditos de bons meninos para eles, assim subimos juntos, ehehe. Companheiro é companheiro.

                         SUBIDA SINAI

                       
No percurso até o topo do monte Sinai, existem 3 pontos de parada onde se pode comer, beber e comprar algumas coisas que são produzidas alusivas ao Monte Sinai. As casas onde se vendem tais produtos são construídas de pedras rústicas e são muito simples. Tem também os camelos para a volta pra quem gastou todas as energias subindo. 

                        PARADA SINAI

                      
Desse ponto para cima, os camelos não sobem mais. A propósito, os turistas também têm que dividir a trilha com dezenas de condutores de camelos que insistem em oferecer seus caríssimos serviços aos turistas mais cansados. Ao fim de uma subida difícil, chega-se à base dos chamados “Degraus do Arrependimento”, uma escadaria de pedra com 750 degraus irregulares e escorregadios.  Como não tinha outra subida para os não arrependidos, subimos pela do arrependimento mesmo.
                        Toda esta subida é feita de noite para evitar o calor abrasador desta região ao longo do dia. São centenas de turistas que fazem esta escalada que culminará com o nascer do Sol no cume do monte.  

                        NASCER DO SOL   

                      
Faz muito frio no topo da montanha, mais frio ainda por estarmos com a roupa molhada de suor da subida, o que dá uma sensação de frio terrível. Tínhamos a opção de nos enrolarmos num cobertor alugado (eles dizem que é comprado, mas depois para descer, quem é que quer carregar aquele cobertor fedendo camelo). Optamos por nos encostar uns aos outros para nos aquecermos.

                        TOPO SINAI

                      
O dia clareou e lá de cima víamos a imensidão de montanhas da região, estávamos na mais alta.

                        TOPO SINAI

                        TOPO SINAI
                      
Local onde alugavam os cobertores.

                      A descida também foi feita inicialmente pelos degraus, 750 deles, pelo menos agora dava para enxergá-los bem e estavam morro abaixo. Sem dúvidas, descer foi mais fácil, mas mesmo assim foi um tanto difícil.

                         DESCENDO SINAI

                         Em certos momentos olhávamos para trás e dava para ver o povo ainda subindo ou descendo pela trilha, parecia impossível nós termos feito aquele trajeto à noite. Ainda bem que estava escuro quando começamos a subida, porque se tivéssemos visto o tamanho da montanha antes de subir, acho que (com certeza) teríamos abortado o passeio.

                        DESCENDO SINAI

                      Para se chegar ao topo do Monte Sinai é preciso muita determinação, preparo físico, muita disciplina e ordenação da respiração, acreditamos que fomos muito favorecidos pelos 5 dias que ficamos mergulhando, que nos deu um pouco mais de preparo.

                        DESCENDO SINAI 

                       Em nosso grupo que juntos viemos de Sharm, além de nós 4, havia 3 casais, 1 de Canadenses, 1 de Russos e 1 de Americanos.  O casal de americanos ficou já no início da subida.
                       Logo depois de acabar os 750 degraus da descida, nosso guia mudou o trajeto e fomos por uma trilha que ele conhecia, e que só havia nós nesse caminho.  De perder o fôlego, a Russinha perdeu a metade dos culotes, subiu saltitando e desceu pisando na língua.

                        DESCENDO SINAI

                      Já no vale da montanha chegamos a um local onde tem uma grande pedra e uma capelinha.

                        VALE DO SINAI

                     
Segundo a história, Moisés teria batido com um bastão nessa pedra e brotou água em 7 lugares, que estão bem definidos na pedra.

                        PEDRA

                       
No final da descida, depois de 8 horas desde o início da subida, fomos visitar o Monastério de Santa Catarina, que é o mais antigo do Mundo, situado no pé da montanha.

                        MONASTERIO

                       
Neste Monastério ainda vivem cerca de 10 monges. Foi construído em louvor a Santa Catarina, que veio de Alexandria e se tornou cristã, quando os Romanos entraram no Egito eles não permitiam que fosse cultuado o cristianismo. Então, o Imperador Romano mandou 40 romanos para se casarem e converter Santa Catarina, ela então se casou com um deles e acabou conseguindo converter não só ele como todos os a outros ao cristianismo. Sendo assim, o imperador romano mandou decapitá-la para que ela deixasse a religião.  Uma imperadora romana chamada Helena então, teve um sonho que o corpo de Santa Catarina de Alexandria tinha sido encontrado nesse local, aí o Imperador Romano em 1327 ordenou que fosse construída a Igreja.

                        ENTRADA MONASTERIO

                      
O Monastério é todo rodeado com um muro muito alto, construído em 1526, para a proteção do Monastério contra os beduínos.  A entrada é muito pequena, e a informação que tivemos de um guia é que essa entrada não existia, os monges viviam enclausurados e recebiam comida através de uma corda que largavam para o lado de fora.
                       Dentro do Monastério foi possível visitar o poço em que Moisés tirou água e conheceu a sua esposa Séphora, um lugar muito sagrado, tem também um pequeno museu com diversos ícones ortodoxos gregos, além de uma bela igreja ortodoxa, dizem que os dedos de Santa Catarina estão dentro dessa igrejinha. Não se pode nem suspirar dentro dela, fotos nem pensar.

                       TORRE IGREJA

                    
Atrás da Igreja (Muro da esquerda na foto acima) está a legítima sepa da Sarça Ardente (foto abaixo), árvore que segundo a Bíblia, mesmo em chamas, não se queimava. Deus apareceu no meio da Sarça e orientou Moisés a tirar os israelitas da escravidão no Egito e levá-los até a Terra Prometida. Os galhos de baixo já estão sem folha, de tanto o povo tirar as folhinhas.

                        SARSA ARDENTE

                     
Apesar de cansativo, foi um passeio interessante, estar num lugar onde desde a infância no catecismo e histórias de colégio ouvimos falar, estar pisando no solo em que segundo a história Moisés também pisou, torna esse passeio, um passeio ímpar.

                       Almoçamos e retornamos a Sharm El Sheikh para fazer mais uns passeios, uma comprinhas e esperar a hora do voo das 11:00 para o Cairo e depois Luxor.

                        MAPA SINAI
                        Trajeto de Sharm El Sheikh até o Monte Sinai

                         Finish

Adicionar comentário / Add Comment / Añadir Comentarios

Gostou do nosso site? Deixe seu comentário! Ele será publicado após a aprovação.


Share on Myspace
Voltar ao Topo